Sunday, May 10, 2009

Coisa de Mãe


Como este ventre gerou o que não me pertencia...
Aparo minhas dúvidas como se assistisse meu filho escolher bola de gude.
E aprendo a enfrentar as dúvidas dele que tanto me aquecem.
Aprendo mais quando estudo com ele.
E o Egito me parece tão perto na hora da revisão.
Se os vídeos do Yotube não me seduzem...
O fazem bastante as gargalhadsa de menino que cresce, rebelde e sagaz.
Sou uma mãe que nunca teve avental....
Muito menos pantufas.
Sou mãezinha, assim:
De misturar atum e arroz e inventar que é um prato mexicano.
De inventar lendas e cantar musiquinhas da primeira escola.
De dar xodó na hora certa e chorar em horas erradas.
Sou mãe e aprendo.
Mais que professora.
E se erro muito.
É que nada, nem manacá, nasce perfeito.
A vida me rega e eu cresço com filho.
E feito passarinho, aqueço o ninho.
E filho cresce comigo.



Para Victor

10/05/09

10 comments:

Anonymous said...

Ao Victor,
meu carinho e a certeza de ter uma mãezona!beijos os dois, miguel carneiro.

Clédson Miranda said...

Olá, nobre Alyne, que poema belo!

Geralmente se vêem os filhos escreverem ou declamarem seus poemas para as suas mães... mas você fez diferente... você o compôs há tempos... ele se chama Victor!

Ao ler seu poema-mãe, lembrei-me da Adéia Prado...

"Sou uma mãe que nunca teve avental....
Muito menos pantufas.
Sou mãezinha, assim:
De misturar atum e arroz e inventar que é um prato mexicano.
De inventar lendas e cantar musiquinhas da primeira escola.
De dar xodó na hora certa e chorar em horas erradas."

Repito: que bela a sua alma!

Abraços ternos, minha querida!

Clédson Miranda said...

P.S.: Ainda aguardando o lançamento do seu livro aqui em Vitória da Conquista!

Cafundó said...

Miguel, meu beijo carinhoso.Clédson, eu simplesmente venero a Adélia Prado.
Beijo imenso e obrigada pelo carinho de sempre!

Van said...

Link do Twitter?
Bem, eu uso o twitter pra divulgar as coisas que escrevo. É isso.
;)
Obrigada pela visita.
Baci

Renata de Aragão Lopes said...

É exatamente isso:
somos mães e com eles aprendemos...

leonorcordeiro said...

Querida Alyne,
Amei conhecer esse cantinho.
Parabéns poeta, pelos versos!
bjs!!!

Cafundó said...

Van, eu devo ter entendido mal.
Obrigada Renata e Leonor!
Voltem sempre!

Luciano Fraga said...

Alyne, bonito seu filho, belo seu gesto poético.Abraço para ambos.

Cafundó said...

Valeu Lú, ele é mesmo lindo, de corpo e alma.