Friday, September 14, 2018

O Poeta Que Encantava Flores

Era um mago da poesia
Usava candura e magia
Fazia violetas encantadas
E girassóis voadores
Era triste, mas sem lamúrias
Conversava com tulipas que viravam fadas
E espalhava paz onde passava
Os generais cobria de margaridas
E eles sorriam como meninos em patinetes
O poeta ressuscitava hortaliças
Alecrim e manjericão
O quintal dos seus sonhos
Era a lua no céu em sua imensidão.

Alyne Costa, 14.09.18

Tuesday, September 11, 2018

Sonho Bom

Eu tive um sonho bom
Desses que a gente não quer acordar
Sonhei que era uma jovem na beira da praia
Estudando pro vestibular
Tinha violão e capoeira
Eu via uma menina chorar
Era tanto encanto à lua cheia
Que eu amava pra nunca acabar
Éramos jovens num acampamento
Livros e cds em volta da fogueira
Meu vestido branco sujo de areia
Meu uniforme da pré-escola
Era tudo azul como céu de verão
Sonhos assim
Cabem na palma da mão
Cabem nas veias do coração.

Alyne Costa, 11.09.18

Wednesday, August 15, 2018

Reviver

Vivendo um dia de cada vez
Vejo flores e sombras no abismo
Construo uma ponte para o infinito dessa multidão
Unida e dada as mãos
Ouço uma canção celta que me traz de volta
A poesia que mora no fundo da minha alma
E andava calada
Não quero "bravos"
Quero pureza e delicadeza
Carrego as minhas dores
Abraço dores alheias
Errei e errarei mais vezes
Estou aprendendo a andar um dia de cada vez
Não tenho dúvidas
Não há talvez
Lembro o segredo do beija-flor em meu ouvido:
Voe
Seu alento é voar com o pensamento.

Alyne Costa 15-08-18

Sunday, May 06, 2018

Quarto de Hotel

No silêncio da cama desarrumada desenho a carvão
Por tantas crenças vãs
Tanto sonhos deturpados pelos intérpretes do caos
Estu só e me viro
Me viro do avesso em telefonemas
Muda, canto baixinho
Aquelas velhas canções de ninar
Lembro do seu perfume
Dos seus passos trôpegos
Do seu amor alado
Em que me levas ao céu
No cofre te dedico meus codicilos
Mee dá a mão
Anda comigo
Ao longo da Avenida
Se tem dúvidas do meu amor
Não há razão
Queero o suave toque de sua mão
E sob a luz do abajourt deixo endereços no guardanapo
Bebe meu amor
navega no meu céu
Vigia meu sono
Enquanto sonho
E levo meus versos no cofre
Um cigarro
Um beijo
Um cântico
E, adormecida, aguardo...
Sua fé e sua mão.

Alyne Costa, 6-05-18

Tuesday, August 29, 2017

Pé na Estrada

Guardarei as violetas e as rosas meninas
Lembranças e sorrisos que não se perderão nos escombros do tempo
Minha lágrima é a flor maior do meu afeto
Nunca secreto
Não te farei moldura
Nem trocarei os papéis
Há sempre algo que fica num porão chamado saudade
Quando se vai um amor
Desmorona-se o teto da realidade
Um amor não cabe em caixas de papelão
Nem se esconde debaixo dos tapetes e das paredes manchadas
Agora, quero andar nua no passeio público
Procurar na bagunça das gavetas onde se escondeu aquele meu riso
E minha boca não tocara nenhum gole de veneno
Serei rio sereno...
Brisa leve da vida planará por ti
Te verei nobre
Te dei uma bagagem de ternura
Mas nunca nasci pra uma armadura
E a vida breve roga por mim
Talvez morrerei com flores, como morrem os poetas repletos de amores
Talvez morra esquecida, como morrem os loucos e os vagabundos
Mas nunca mais viverei com temores
Viverei a vida como quem tem fé
Como quem ama
Como quem bem quer
Como quem bendiz
Como quem ora
Pé na estrada!
Mundo afora!

Alyne Costa, 29.08.17


Saturday, August 12, 2017

Amei e dei vexame

Simplesmente a vida é assim.
A certa altura da vida... Numa experiência de isolamento social vc se apaixona por uma carícia que alguém faz em seu rosto.
Alguém que também sofre. Que também passa por dificuldades.
E, de repente, esse alguém pisca o olho pra vc, brinca com vc, divide o cigarro...
É honesto, bom lider, talentoso.
Vc olha pra aquela pessoa e vê disperdiçado um futuro brilhante.
Vc é poeta.
Louca.
Ama.
Precisa de amor e não há nada que te mova mais que a paixão.
Conscientemente vc sabe que aquilo jamais terá futuro.
Mas vc é capaz de doar sua vida por aquela pessoa.
Pq sabe q ele é bom, puro, tão vulnerável quanto vc.
Vc chora escondido... Declara sua paixão em mensagens não visualizadas. Faz preces. Ora com todo fervor da sua alma.
Faz poemas secretos q talvez essa pessoa nunca leia.
Ou leia pq vc sabe o quanto essa pessoa é sensivel, inteligente e pode ser útil a um mundo melhor....
Mas os avessos da vida as vezes acontece e essa pessoa é vítima de uma injustiça.
Pq mulher é bicho traiçoeiro e vc sabe o quanto seus amigos homens são leais.
Sim... As injustiças acontecem e vc toma uma opção na vida. Nunca mais coadunar com injustiças onde é q elas ocorram.
Vc sabe q o futuro daquela pessoa não é com vc, q ela tem brilho e destino próprio e q isso só pertence a Deus.
Ai vc q não sabe fuçar facebbok recebe de graça uma foto daquela pessoa com farda.
Logo vc q sempre abominou polícia, mas tem fetiche por homem fardado.
Vai à loucura.
Liga....]
Liga de madrugada...
Liga quando vê a pessoa on line no face. E sua ligação não é atendida.
Restam sua saudade e uma solidão sem idioma.
De repente vc acorda.
Lembra do sorriso daquele amigo seu de faculdade viciado em jogos eletrônicos.
E vc sabe q ama e é correspondida.
Vc sabe q já fez muita gente feliz e isso é q conta e que por outras pessoas vc é absolutamente impotente.
Ai vc joga a toalha.
Desiste.
E num passe de mágicas... Arregaças as mangas e vai  aluta por vc mesmo. Pra sorrir. Pra ser feliz. Pra dar e receber amor pq desistir, embora doa, tb faz parte.

Alyne Costa, 12.08.17

Monday, July 31, 2017

Saudade

A saudade é uma ausência que não cura.
Perdura.
É lapidar no pensamento cada segundo.
Cada momento.
Ser no mais profundo sentimento...
Um lamento.
É querer ter aqui do lado
O passado
E ter na dúvida a pureza
Como já disseram os menestréis
E, numa loucura, ser a ruptura
E querer o novo
A vida nova
A roupa branca e alva
De fada encantada
Que morre de amores
Enfeitiçada
E, na magia desse feitiço...
Buscar a paz
Uma tranquilidade sem verbo
Sem carne
Sem alarde
E esperar...
Esperar
Esperar
Até a febre amenar
Porque cura, meu Deus, já não há!
Alyne Costa, madrugada de 8.07.17