Wednesday, November 03, 2010

Meu Machão



Devia estar na casa dos seis anos quando o ganhei de presente. Era de plástico e imóvel. Usava uma camisa vermelha de mangas compridas onde estava escrito “MACHÃO”, assim mesmo em maiúsculas e possuía a genitália desnuda em contraste.
Foi presente de Tia Marta, sempre provocativa com os sobrinhos. Devo ter ficado rubra a princípio com o presente. Eu acostumada com bonecas bem comportadas ter que lidar com aquele intruso de piroca de fora no meio delas.
Mas achava muito legal aquela camisa vermelha e a palavra “MACHÃO”. Não tivesse ele as pernas grudadas eu juro que lhe arrumava umas calças cumpridas.
Tia Marta ficou muito tempo por perto assistindo minhas reações com o Machão, devia estar se divertindo com meu constrangimento e até brincou comigo, dando vozes e falas ao boneco, entrosando no meio dos outros brinquedos e eu comecei a ganhar intimidade.
Em muito pouco tempo Machão já havia virado o rei do pedaço. Disputado por todas. Era marido de um, amante de outra. E meu reino infantil havia se transformado num mini brega. Eu brincava com muita cautela para não deixar nenhum adulto perceber o potencial de Machão, mas ele havia se tornado uma espécie de atrativo.
Machão ganhou fama e todas as visitas da casa queriam vê-lo. Não sei quem espalhou o boato. No fundo, no fundo, queriam ver o pinto de Machão. Vinham as amigas da minha tia, os rapazes da república pretendente daquelas... Machão era um sucesso. Mas o que ele aprontava mesmo ninguém sabia.
Tia Marta volta e meia aparecia para brincar um pouco, mas ela sequer imagina o que provocou. Meu bonequinho de plástico me iniciou no reino das fantasias. Machão foi meu primeiro símbolo sexual.
Alyne Costa
SSa, 3/11/10

1 comment:

Zula said...

Muito bom!! Adorei, querida!!! Meus primeiros contatos com o sexo desnudos dos bonecos foi com as Barbies... Conheço bem essa história do Machão -rsrs -
Como só depois de muito tempo ganhei um Ken... isso explica meus sonhos eróticos com meninas!