Sunday, October 14, 2007

Caravana de Sonhos

Pigg retirado do site: http://pcdec.sites.uol.com.br/


Haverá um tempo em que as pessoas não mais usarão sobrenomes.
Sua identificação civil na será substituída por barras de indicação, pois serão ressuscitadas algumas expressões como: Amor, Bem Querer, Meu Bem, Meu cheiro, Catita, Dengosa... E todo mundo vai se chamar feito namorado e namorada e este idioma não se transformará em nenhuma babel.
Amanhecerá um dia em que as crianças, entre si, trocarão seus brinquedos como se estes fossem sonhos. E as lojas de brinquedo deixarão de ser lojas e se tornarão reinos. As grandes fábricas não serão fechadas, serão anualmente premiadas como máquinas de ensinar a sonhar.
Será instituído por lei que toda criança até os 12 anos de idade precisará ver ao menos três vezes o filme: “A Maravlihosa Fábrica de Chocolate”. Para que possam acreditar para sempre que sonhos não têm limites!
Amanhecerá um tempo em que as cidades tornarão peças de museu os seus semáforos porque as ruas serão invadidas por inúmeras bicicletas coloridas, veiculadas por pessoas que residem perto de seus trabalhos... E as famílias terão mais tempo para curtir este ser família, para andar sem medo por lindas praças em que pássaros voarão livres e policiais comerão algodão-doces, com sorrisos de bombeiros.
Haverá um tempo em que escolas estarão abertas a todos que querem ensinar e aprender... Em que as aulas, quando necessárias, serão ministradas em grandes parques por professores-maestros que ensinam a compor e criar, em qualquer ciência, e assistidas por alunos cujos olhos brilham com a sutil delícia da perplexidade. E ninguém mais precisará pagar por qualquer ensino porque no fundo todos compreenderão que ninguém mais precisa saber que “saber” não se compra, nem vende.
Haverá um tempo em que as pessoas não mais perguntarão umas às outras-De onde você é?
Porque todos se considerarão cidadãos da Terra.
O bairrismo deixará de ser uma forma velada de preconceito e todo mundo será feliz por não pertencer a nenhum lugar pré-estabelecido.
Seremos humanistas, antes de patriotas e as fronteiras trocarão os tanques bélicospor imensas cercas de flores...
E a todos será prazeroso partir e chegar, por trocar culturas, linguagens, crenças e esperanças.
Haverá um dia em que mais ninguém será discriminado por sua fé. Da beleza do batuque do candomblé, dos rituais católicos, da solidariedade e perseverança dos testemunhas de Jeová, brotará a Paz. E, numa imensa ciranda, homens de todas as crenças se darão as mãos.
Amanhecerá um dia em que todas as flores se abrirão... A violência cederá lugar à irreverência. As portas, todas elas, dormirão abertas... E os anjos em revoada transformarão lágrimas em risos.

“”Na esperança de que também a própria criação há de ser liberta do cativeiro da corrupção, para liberdade e glória dos filhos de Deus.” (Romanos, 8:21)


Alyne Costa

Brumado, 11 de outubro de 2007

4 comments:

Padre Alfredo said...

Adorei!
Lindo! Adorei.
Festa du caralho!
Hoje (15.10) é o aniversário do chargista Marcelo Mendonça, do
www.caralhaquatro.blogspot.com
Poste qualquer coisas lá!
Alfredo

Leila Lopes said...

E que toda esperança nos contamine a cada dia novo de sol.
Beijos, querida.

Anonymous said...

MINHA POETA LINDA,
A MUSA DE CAETITÉ!
MANDEI HOJE PELOS CORREIOS TEU CD...
CHEGANDO AÍ EM BRUMADO ME AVISA PARA EU TIRAR ESSE COMPROMISSO E PALAVRA DADA
MEU BEIJO E MEU CARINHO
MIGUEL CARNEIRO

Marcílio said...

Amiga, estou indo fazer este meu tempo... Beijos. Te Adoro. Marcílio.