Wednesday, April 20, 2011

Quando a Vida Requer Pausa



Tenho natureza melancólica, mas nem por isso a alegria não deixa me visitar e quando isto ocorre banho-me na chuva.

Tenho paixão por detalhes, miudezas não me passam em vão. Silhuetas, olhares, afagos de gestos e palavras me transmitem muito tanto quanto os sonetos de Florbela Espanca, os filmes de Almodóvar e a voz de Nara Leão.

Acredito que fomos feitos para passar pela vida e não a vida feita para passar por nós. Por isso ela às vezes nos requer pausas. Quando entramos na dinâmica louca da vida sem dar a devida atenção às nossas reais necessidades ela nos quebra literalmente porque tentamos ser aquilo que não somos: máquinas.

Aí adoecemos sob diversas formas, deprimimos,entramos em pânico, machucamos quem menos gostaríamos de ter machucado, somos surpreendidos pelas mais variadas espécies de desenganos, fazemos uma besteira enorme e temos que precisar parar tudo para consertar o que talvez nem tenha mais remendo. Achamos que estamos enlouquecendo e que não vamos conseguir suportar a profundidade daquela dor. Tudo isso porque deixamos que a vida passasse por nós, sufocando nossas emoções e reais desejos, subestimando nossos talentos e potencialidades, olvidando nossa espiritualidade e não dando atenção à nossa condição humana que requisita pausas.

Quando a vida nos obriga a parar, observamos que são necessárias mudanças. Nem sempre temos por perto os braços que gostaríamos que nos abraçassem, mas precisamos sobreviver...Temos nossos próprios braços que podem envolver-nos num abraço, temos nossas próprias mãos que podem preparar um chá e escrever. E mais, temos uma poção mágica: nossa imaginação! Essa pausa é, principalmente , um reencontro consigo mesmo.

Se você não falar nada provavelmente ninguém perceberá o que está ocorrendo. Porque a grande maioria das pessoas também está assim, deixando a vida passar por elas. E não é falta de solidariedade é que se as pessoas não estão conseguindo dimensionar o que acontece com elas como poderão compreender o que ocorre com os outros?

E enquanto você é uma lagarta o mundo te enxerga como uma linda borboleta colorida dando rodopios no jardim.

Essa pausa é sua. É necessária para que você passe pela metamorfose de lagarta e se torne de fato uma linda borboleta. Não é momento para ler os jornais ou livros técnicos, se cuidar também exige qualidade naquilo que lê, vê e ouve. Nessa pausa você está passando pela vida e é preciso buscar leituras agradáveis, apreciar belas mandalas e preparar um retorno em que se sentirá mais livre e seguro.

Quando você passa pela vida você observa o canto dos pássaros, beija-flores costumam lhe visitar, com casa e alma arejadas sobra espaço pros anjos chegarem com seus sinais. As coisas fluem num ritmo de acordo com suas reais necessidades. E então você descobre que importa ser aquilo que é e não o que gostariam que você fosse.

Alyne Costa
20/04/11

6 comments:

Ana Morais said...

"... Tenho paixão por detalhes, miudezas não me passam em vão. Silhuetas, olhares, afagos de gestos e palavras me transmitem muito tanto..."

Ah, estou encantada com o seu espaço.
Um grande abraço,

Ana M.

Cafundó said...

Volte sempre, Ana!

Cafundó said...
This comment has been removed by the author.
Fernand's said...

é preciso...
é preciso e bem vinda uma pausa. esse tempo e o silêncio me são valiosamente necessários.



bjs, querida.

Nielson Alves said...

...Lindo...

adoro as miudezas da vida.

Contos da Joii said...

Q seria de nós se não fosse o silencio. As vezes é preciso parar, calar, e absorver só o que for positivo e bom para nossa vida. O que nos faz crescer, o que nos acrescenta. E nos desviar de toda negatividade, o que nos diminui, e nos desacredita. A fé é o princípio de tudo. Um ótimo sábado pra ti. E um domingo de páscoa abençoado. Beijos da Joii.